Sinalização interpretativa de Belo Horizonte : Hardy Design – Estúdio de Design e Branding

Sinalização interpretativa de Belo Horizonte

Projeto de sinalização do conjunto urbano da Rua da Bahia, que se estenderia para o restante dos conjuntos urbanos protegidos de Belo Horizonte.





O projeto de sinalização interpretativa de Belo Horizonte teve como propósito identificar os pontos importantes do Patrimônio Cultural da capital, bem como museus e pontos turísticos relevantes para a cidade, auxiliar no deslocamento das pessoas, além de ter função educativa, integrando o usuário, principalmente o turista, ao contexto urbano.

Os conjuntos urbanos são áreas da cidade definidas com o objetivo de se proteger espaços polarizadores, onde são encontradas ambiências, edificações ou mesmo conjunto de edificações que apresentam expressivo significado cultural.

No escopo deste trabalho, estava prevista a instalação de placas interpretativas e indicativas ao longo de três conjuntos urbanos protegidos: Rua da Bahia, Praça Rui Barbosa e Praça da Liberdade, conformando um percurso/trajeto a partir do qual se pode apreender o processo histórico de conformação e ocupação da cidade de Belo Horizonte e de suas transformações arquitetônicas, paisagísticas e urbanísticas.










A Sinalização Interpretativa é entendida como forma de inserção do cidadão e do turista no conhecimento da memória coletiva de um lugar específico, identificando seus marcos referenciais na cidade. A partir de um projeto piloto, a sinalização foi estendida para mais conjuntos urbanos protegidos. Hoje, o projeto permeia praticamente toda a área compreendida pelo perímetro da Avenida do Contorno, núcleo histórico original de Belo Horizonte, estimulando, assim, moradores e visitantes a desenvolverem um processo de valorização de seu patrimônio cultural e de pertencimento à sua cidade.





As principais premissas das placas deste projeto são a durabilidade, a objetividade, a legibilidade, a atemporalidade e a adaptabilidade. A partir de uma paleta cromática bem definida, cada conjunto de placas foi dividido entre passeios, quarteirões, pontos de interesse, bens tombados, placas direcionais, praças e parques, e lagos e rios.

Além de textos e fotografias, que ajudam a fornecer informações sobre a história de Belo Horizonte, o seu processo de ocupação e os seus exemplares arquitetônicos mais representativos, também utilizamos pictogramas, que contribuem para a representação de espaços e a integração das pessoas à região.






Direção de Criação: Mariana Hardy⁣⁣
Direção de Operações: Cynthia Massote
Coordenação: Gustavo Magno
Designers: Luciana Guizan, Emerson Eler, Thais Bara, Delio Faleiro, Paula Vilela
Gerente de projeto: Marcela Dantés e Nathalia Massote
Produção Gráfica: Mirelle Bairral
Projeto estrutural: Mach Arquitetos (Fernando Maculan e Mariza Machado Coelho)
Fotos: Rafael Motta